27/09/2009

ONANISTAS GRAÇAS A DEUS PARTE II - A PRIMEIRA VEZ

Toda mulher diz que lembra de seu primeiro beijo...Não duvido .Eu não me lembro do meu... Mas deve ter sido uma merda...Também não me lembro bem da primeira trepada ... Deve ter sido outra merda.

Mas pelo que andei pesquisando, inesquecível messsmo, para a mulherada sem duvida nenhuma é a primeira masturbação... talvez pela coisa do proibido..

Mas acho que é mais um dos mistérios insondáveis à bronca mente masculina. Tenho certeza que a maioria dos homens, não se lembra nem da última punheta que dirá da primeira!

Antes de prosseguir neste segundo capítulo, deixa eu ir logo esclarecendo que não estou aqui pra fazer nenhum tratado psicológico a respeito do tema... nem tenho conhecimento para tanto. Quero apenas curtir de maneira bem humorada alguns fatos. Dando um foco maior nas mulhres. Homem eu quero mais é se exploda.

Também quero deixar logo claro que não quero colaborar com nenhum manual ou livro de auto-ajuda ou de dicas. Não sabe fazer direito? Se vire! Problema seu! Foda-se! Dê seus pulos e se vire nos trinta! Arranje um jeito minha filha. A não ser que você seja uma daquela mulheres africanas que tem os clitóris amputados com gilete Ui....

De qualquer maneira , tudo que está escrito aqui é a mais pura verdade. Baseado em experiências masturbatórias pessoais tiradas de relatos de algumas mulhres que por razões óbvias não quiseram se identificar.

Mas mesmo assim foi difícil mais da metade das questionadas tiveram a cara de pau de dizer que não fazem. Ô povo mentiroso. Outra parte se limitou a mandar eu me fuder.

Curioso é que logo no início do processo mostrei os rascunhos do que iria enviar, a uma amiga. Pedi uma opinão... Fui escaldado .

Ela ficou puta da vida e eu lá ouvindo os “desaforos”...

- Porque os homens sempre pensam que um vibrador é melhor de tudo???

- Vibrador está mais pra fantasia sexual...

- Quem escreveu esta merda não sabe de nada...

- Não é só a penetração que dá prazer...

- Tá vulgar!


Segurei a onda. A crítica poderia ser válida. Era uma posição masturbatória antagônica. Quase uma divergência filosófica. A masturbação arte versus a masturbação força!

E fui dando corda pra ver o que mais ela dizia de interessante.

- Sei lá as mulheres pensam que metendo coisas vão ter prazer...eu gosto mais é de usar meu dedinho nada de enfiar. So se tocar e tá otimo ...

- Tudo bem que depois de gozar a buceta pede pica , mas ai dá uma paradinha e é so começar outra... fechar os olhinhos e pensar em qualquer um..

Depois de ouvir um relato tão primororso e de tão alto nível, quase que eu pergunto:

- Ah então eu que sou vulgar, né?

Puta!


A primeira vez elas nunca esquecem

“Não sou parâmetro de nada pois sempre fui meio precoce. Aos nove anos me atentei pra coisa. Meu primeiro “amor “ foi a quina de meu colchão.” Me disse F.B de 36 anos.

Se a idade não é tão comum, já que na maioria de minhas conversas peguei a faixa dos 11 a 13 anos como o início da prática, conscientemente – as quinas parecem ter seu papel importante na construção da sexualidade masturbatória...

Que roda que nada! A grande invenção da humanidade foi a QUINA. Quina de mesa, de criado mudo, de sofá...Ô mulherada que gosta de roçar.

Os relatos mais legais que peguei também colocam os chuveirinhos de bidê (ainda existe bidê?) como uma grande fonte de descoberta. O chuveirinho atual é outro objeto de desejo, apesar das histórias que rolam por aí, nas minhas pesquisas não conheci ninguém que tenha começado com ele mas pode ter. Por que não?

Pincei muita coisa nos depoimentos. Uma lembra-se de, bem pequena, começar a se bolinar em uma banheira e de ter dito a sua mãe que estava nascendo um pinto nela...Pinto nada era o clitóris mesmo se manifestando. Não lembra do que a mãe lhe disse, apenas que depois deste dia a banheirinha desapareceu.

Outra anda reparando aterrorizada que sua sobrinha de DOIS anos está cultivando o hábito de roçar em tudo quanto é canto. A bichinha nem sabe que está fazendo. Sabe apenas que é gostoso.

“A minha primeira foi bacana, assutadora, surpreeente... Gozei e fiquei lá espalhada na cama.O que é que tinha acontecido gente! Uuuuuuuuuuuuuuuu! Que maravilha! Aquela cosquinha gostosa se tranformou em algo avassalador. Depois nunca mais parei.” M. R 24 anos.

25/09/2009

ISTO SIM É SHOW!

video

Tá pensando que é só nos pagodões da vida que rola as baixarias? Que nada! Eis aí a prova.

23/09/2009

ONANISTAS GRAÇAS A DEUS PARTE I - INTRODUZINDO (UI!)

Os termos “onanismo” e “onanista” vêm, como tantos outros, da Bíblia. Nela consta, em uma de suas histórias, que um sujeito, chamado Onan caiu em desgraça com o Todo Poderoso, pois se recusou a inseminar a mulher de seu irmão falecido e, assim, garantir a continuidade da família. Coisa que para a época seria uma tragédia, senão grega, hebraica.

Para não embuchar a garota, o tal Onan, simplesmente na “hora H”, tirava o pênis da vagina dela, se masturbava e ejaculava fora. Assim Onan, segundo os relatos bíblicos, teria inventado não somente a punheta; mas também, um dos mais usados e falhos métodos contraceptivos. O coito interrompido.

Com toda esta base científica - típica de quem queimava gente em fogueira e dizia que índios não têm alma e por isto teria mais é que se arrombar mesmo - a masturbação foi adquirindo uma áurea de pecado mortal ao longo da história da humanidade. Como se houvesse uma emenda no décimo mandamento:

Não cobiçarás a
mulher do próximo,
tampouco se masturbarás
em sua intenção.

Diziam que ela seria causadora de doenças terríveis, como a tuberculose, além de provocar danos estéticos asquerosos como acne e pêlos nas mãos.

Segundo Freud a masturbação seria uma espécie de vício mas que cessaria na fase adulta... Sei não. Acho que ele cheirava demais pro pau subir e ele curtir um sexo mesmo que solitário... Na parte do vício ele tinha razão, quanto a cessar...Freud não explica.Eu estou com mais 30 anos e continuo na ativa.

De qualquer maneira, os pobres “onanistas” foram reprimidos ao longo dos séculos. Os meninos, coitados, tinham seu bilaus cercados por cintos de castidade ou por peças “farpadas” que causavam dor a qualquer mísera ereção.

Então pense comigo: se pros homens era assim, imagine pras mulheres? Até hoje existem muitas que juram de pés e pernas juntas que jamais deram uma bolinada mais gostosa em suas partes genitais. Balela. Masturbação é como mijar. Pode segurar mas não muito tempo.

Tem uma velha piada que diz que masturbação delas é mais avançada que a masculina pois é digital enquanto a dos rapazes é manual.


Apesar da mulherada ser muito mais equipadas para a masturbação que os homens, para chegarem a “temperatura certa” a maioria necessita mais que uma foto de mulher pelada na internet. Tudo dá bem mais trabalho pra mulher. Mas, pra compensar isto, enquanto o coitado do pênis tem que dividir diversas funções, escretora, reprodutora... além da básica de dar prazer, o clitóris é uma peça de engenharia que tem como único objetivo gozar. Viva ao pinguelo!!!!

Falando em coitado, me disseram que esta palavra vem de coito. Surgiu em tempos remotos quando as donzelas despreparadas para o ato sexual (o coito) eram praticamente arrombadas na noite de núpcias, sem dó ou piedade. Muitas precisavam de um tempo para se recuperar da dolorosa enfiada. Quando perguntavam pela infeliz diziam que ela estava “coitada” e por isto estava recolhida. Daí o termo coitado...Que coisa. Até na etimologia impera a putaria...

Mas vamos voltar ao assunto. Pois então, além dela terem uma peça exclusiva para tão deliciosa função, são capazes de gozar várias vezes seguidas e com mais intensidade segundo os estudos que rolam por aí. Mas depois falo mais sobre isto.

No próximo post: ONANISTAS GRAÇAS A DEUS PARTE II A primeira masturbação a gente nunca esquece.

21/09/2009

ALGUNS CENTIMETROS A MAIS


A “centimetrização” dos órgãos sexuais sempre foi muito valorizada dentro do universo masculino. Quando uma mulher quer sacanear um namorado, ou um ex, fala logo do tamanho do pau dele em relação a de outro.

Muitas dizem não se importarem com o tamanho e outras declaram abertamente serem adeptas exclusivamente do uso dos grandes formatos, embora outras tantas declarem preferir os dos de menor porte pela menor probabilidade de risco de um empalamento.

Mas, não vou falar de tamanho de rola por aqui. Não é um assunto que me apeteça, tampouco me favoreça. Meu foco está na “centimetrização” dos atributos sexuais femininos. Nos primórdios era a pujança de bundas e quadris que fazia o sucesso. Logo depois com os silicones da vida, a atenção se voltou aos peitões.

Mas na última década venho notando que um fetiche que se torna cada dia mais comum é em relação aos clitóris avantajados. Os populares pinguelões ou grelos!!!

Porque isto? Tenho uma teoria. Acredito que com o desmatamento intenso das antes vastas pentelheiras femininas, (estilo Claudia Ohana e Vera Fischer) as bucetas passaram a ser mais visíveis em sua anatomia externa. Antes o que se via era apenas o bombril, que as deixava todas iguais. Apenas um tufo de pentelho.

Como a moda hoje impõe o pelo zero, mesmo com as recomendações dos ginecologistas de que se deve preservar parte da mata nativa, a mulherada optou pelo visual raspadinho. Logo as saliências e reentrâncias apareceram e foram comparadas.

E, decididamente, uma xereca nunca é igual a outra. Quem fala isto ou nunca viu ou não gosta de usar.

O primeiro pinguelão a gente não esquece.

O meu primeiro pinguelão foi uma grata surpresa. Antes só tinha encontrado modelos pequenos e médios. Os maiores pensava até que fossem truques fotográficos como existe hoje em muitas das imagens que circulam na internet.

Foi no finado drive in que eu o encontrei. Fui pra lá com uma nova namorada dar uns amassos, a coisa esquentou e no meio da putaria passei a mão por dentro de sua calça e senti um pequeno volume, além da umidade normal.

Quando a desnudei, lá estava ele imponente apontando em minha direção. Minha curiosidade me fez medi-lo um dia. Quase que 5cm de pinguelo. Uai! Algo que jamais esquecerei. Depois deste episódio tive até hoje a sorte de encontrar mais 3 de porte equivalente.

Ela ter ou não ter pinguelão na verdade não altera em nada o prazer da relação sexual ou a performance sua ou da parceira. Mas, os apreciadores da iguaria veem em um bom pinguelão algumas características interesantes.

1 -Ele cresce ou diminui proporcionalmente a excitação de sua proprietária, tornando muito mais difícil um fingimento.

2-Não tenho dados científicos, mas as portadoras de pinguelão parecem ser mais fogosas e que chegam com maior facilidade ao orgasmo.

3- São uma delícia de se chupar e reagem muito bem a ponta da língua.

4- Esteticamente tem um design mais interessante do que uma simples rachinha entre as pernas.

Cuidados com o uso

Para os não iniciados na arte da gastronomia macropinguelar vão algumas dicas preciosas:

1- Os pinguelões são estruturas delicadas e sensíveis a coisas ásperas ou a tratos indevidos. Maneje-o com carinho. No caso do sexo oral convém fazer a barba direito. Chupe, lamba, sugue mas, em hipótese alguma masque-o. Leves mordidas estão liberadas, mas dentadas jamais!!!

2- Algumas mulheres podem ser estimuladas novamente imediatamente após o orgasmo, outras não. Observe o comportamento de sua parceira antes de reiniciar a chupança, pois no lugar de prazer você pode provocar imensa agonia.

3- Apenas os amadores confundem pinguelo com lábios vaginais. A mulher pode ter lábios enormes e projetados pra fora e um pinguelo pequeno.

4- Nunca menospreze um pinguelo pequeno, ele pode te proporcionar imenso prazer. Ponha-se no lugar de sua parceira. Imagine se ela olha seu pau e diz: -só isto? Você não iria gostar não é?

5- Não existe um tipo físico ou raça que tenha o pinguelo maior ou menor. Os quatro que vi ao vivo e a cores eram de mulheres completamente diferentes entre si. Os que vejo em filmes e internet também. Achar um grelo grande é como jogar na loteria.

6- E por fim, e mais importante Seja qual for o tamanho do pinguelo logo abaixo dele deve existir a portinha da buceta. Caso você se depare com uma mulher de imenso clitóris porém sem a portinha, sinto muito te dizer isto, mas você deu uma de Ronalllldiiiinhooooo....